Karadzic diz que não terá um julgamento justo

Bruxelas, 26 ago (EFE).- O ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic considera que não terá um julgamento justo, pois diz ter sido demonizado pelos Estados Unidos a ponto de, alegar inocência, ficar parecendo piada.

EFE |

"As bases para um julgamento justo foram destruídas completamente", afirma Karadzic em um documento apresentado ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) no domingo passado e divulgado hoje.

Na próxima sexta-feira, Karadzic vai ao tribunal para se declarar inocente ou culpado das 11 acusações que pesam sobre ele.

No documento divulgado hoje, o acusado afirma que "ninguém no mundo acredita que haja uma possibilidade de um veredicto de inocência".

Segundo Karadzic, o acordo que ele assegura ter alcançado em 1995 com os EUA para dar-lhe imunidade, o obrigava a deixar as acusações oficiais e a não falar em público.

Depois disso, "se iniciou uma campanha de demonização sistemática, contínua e total da minha pessoa", disse o servo-bósnio, que ressaltou que isso fez com que o tribunal ficasse predisposto contra ele.

Por isso, Karadzic disse que mantém sua posição de que esta predisposição seja solucionada "antes que continue" o julgamento.

EFE rcf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG