Kaká não jogará em Pequim porque não quer, diz Berlusconi

Em meio à correria entre um encontro bilateral e outro nesta quarta-feira, durante a reunião de cúpula do G8, no Japão, o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, encontrou tempo para dizer à imprensa brasileira presente no local que o jogador Kaká não quer ir à Olimpíada porque ele está muito cansado. Berlusconi é o dono do time no qual Kaká joga, o Milan, mas deixou formalmente a Presidência do clube após ser eleito premiê, no ano passado.

BBC Brasil |

Enquanto esperava a chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com quem manteve uma reunião bilateral de meia hora, Berlusconi aproveitou para cumprimentar os jornalistas brasileiros presentes e dizer que gosta muito de Kaká e de Alexandre Pato, as duas estrelas brasileiras do seu time.

O Milan vetou a liberação de Kaká para a Olimpíada de Pequim, liberando apenas Pato.

Ronaldinho
Publicamente, Kaká manifestou seu interesse em participar da competição, mas disse que nada podia fazer se o seu time não permitisse sua participação.

Como já era esperado, na convocação da seleção para a Olimpíada, na segunda-feira, o técnico Dunga deixou de lado o meia - que também está se recuperando de uma cirurgia no joelho esquerdo.

Antes de presentear Lula com 12 gravatas italianas, Berlusconi disse também que o Milan não contratará o também brasileiro Ronaldinho, atualmente no Barcelona, porque o jogador está "muito caro".

"Mas, de qualquer maneira, não sou mais presidente do Milan, sou presidente do Conselho de Ministros (denominação oficial do cargo de premiê italiano), e não posso gastar tanto dinheiro", afirmou.

"Tenho que gastar com os pobres", disse ele, no mais tradicional estilo populista, acrescentando que é o maior pagador de impostos da Itália.

"Pago US$ 1 milhão por dia em impostos", afirmou Berlusconi, que é também dono de uma rede de TV e o homem mais rico da Itália.

    Leia tudo sobre: kaka

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG