O presidente líbio, Muammar Kadhafi, acusou nesta terça-feira forças estrangeiras, entre elas Israel, de alimentar o conflito em Darfur, no oeste do Sudão, e pediu a Corte Penal Internacional que detenha as perseguições contra o presidente Omar el-Béchir.

"Não é nenhum segredo quando anunciamos a descoberta de provas inequívocas de que o problema de Darfur é alimentado por forças estrangeiras", disse Kadhafi em discurso transmitido pelo canal líbio Allibya.

Kadhafi, eleito no início de fevereiro presidente da União Africana (UA), citou explicitamente Israel, afirmando que "importantes dirigentes da rebelião (sudanesa) têm escritórios em Tel-Aviv e mantêm reuniões com o Exército" hebreu.

"Se Tel-Aviv, por exemplo, está por trás de Darfur, por que pedir contas a Béchir ou ao governo sudanês?" - questionou o líder líbio.

"A Corte Penal Internacional, a ONU e a comunidade internacional devem se concentrar nos que estão por trás deste dramático conflito".

A Corte Penal Internacional anunciou na véspera que no dia 4 de março anunciará sua decisão sobre uma ordem de prisão contra o presidente sudanês por seu suposto papel nas violações em Darfur, região sacudida pela guerra civil desde 2003.

O conflito em Darfur já deixou 300 mil mortos e mais de 2,7 milhões de refugiados, segundo a ONU.

ila/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.