Kadhafi abre cúpula da União Africana culpando Israel por todos os males

O ditador líbio Muammar Kadafi abriu nesta segunda-feira a cúpula extraordinária da União Africana (UA) dedicada à discussão das guerras no continente - da qual participará o presidente venezuelano, Hugo Chávez - acusando Israel de estar por trás de todos os conflitos na África.

AFP |

Cerca de 30 chefes de Estado da UA - entre eles o presidente sudanês Omar Al Bashir, que tem uma ordem de prisão internacional emitida pela Corte Penal Internacional (CPI) por crimes cometidos em Darfur - participaram da cerimônia de abertura.

A "sessão especial" desta segunda dedicará atenção especial à situação da Somália.

A cúpula marca o 10º aniversário da proclamação da organização pan-africana e acontece às vésperas da celebração dos 40 anos da chegada ao poder do coronel Kadhafi.

Kadhafi afirmou que Israel está "por trás de todos os conflitos na África", e pediu que todas as embaixadas israelenses no continente sejam fechadas.

Israel "utiliza a proteção das minorias como pretexto para desencadear conflitos", acusou.

"Os israelenses foram uma quadrilha e estão por trás de todos os problemas da África", acrescentou o líder líbio, informando que uma facção rebelde de Darfur abriu uma representação em Tel Aviv e que Paris protege seu chefe histórico Abdelwahid Mohamed Nur, exilado na França.

Além de Bashir, também participou da abertura da reunião o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe. O encontro, que contará ainda com a participação especial de Chávez, acontece em uma tenda gigante armada no porto de Trípoli.

Os presidentes sul-africano, Jacob Zuma, senegalês, Abdulaye Wade, nigeriano, Umaru Yar'Adua, e ugandense, Yoweri Museveni, estavam ausentes.

Consta na ordem do dia da cúpula a discussão de maneiras para "apoiar mais o governo somali de transição (TFG), reforçando suas instituições e melhorando a segurança do país".

O presidente somali, Sahrif Cheij Ahmed, apresentado como islamita moderado, enfrenta desde o começo de maio uma ampla ofensiva de grupos islâmicos radicais e atualmente controla apenas uma parte pequena do território do país.

ila/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG