NOVA YORK - Em seu primeiro discurso na Organização das Nações Unidas, nesta quarta-feira, o líder da Líbia Muammar Kadafi acusou os países com poder de veto no Conselho de Segurança da ONU de traírem os princípio da Carta da entidade.


Muammar Kadafi discursa na ONU / AP


"O preâmbulo (da Carta) diz que todas as nações são iguais, sejam pequenas ou grandes", disse Kadafi, com a ajuda de um intérprete, antes de receber uma salva de palmas. Depois de ler uma cópia da Carta, Kadafi acrescentou: "O veto é contrário à Carta, não o aceitamos e não o reconhecemos."

Usando um emblema da África no roupão colorido, o líder da Líbia jogou sua cópia no pódio várias vezes e por fim a atirou sobre o ombro. A Líbia tem um assento temporário no Conselho de Segurança da ONU e fará parte do painel de 15 países até o final de 2010.

"O poder de veto deveria ser anulado", disse Kadafi. "O Conselho de Segurança não nos proporcionou segurança, e sim terror e sanções", disse ele aos líderes reunidos na abertura da Assembleia Geral de 192 nações.

"Como podemos ficar felizes se o poder está nas mãos de uma dezena de países?", questionou o líder africano, que pediu a reforma e o aumento do número de membros permanentes do Conselho de Segurança.

Kadafi, que falou após o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que o fato de que "65 guerras" tenham irrompido desde que a ONU foi criada mais de 60 anos atrás prova que os princípios de sua fundação foram traídos. Atualmente, Kadafi preside a União Africana.

(Com informações de Reuters e EFE)


Leia mais sobre Assembleia Geral da ONU

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.