Kadafi considera forma de colonialismo uma base militar dos EUA na África

Argel, 6 set (EFE).- O líder líbio, Muammar Kadafi, disse à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, que a idéia dos Estados Unidos de estabelecer uma base militar na África pode ser considerada pelos países do continente como uma forma de colonização, informou hoje a agência líbia Jana.

EFE |

Com o aumento dos movimentos radicais islâmicos no continente, os Estados Unidos reiteraram sua idéia de montar a Africom, uma base na África a partir da qual seria possível fazer frente a essa ameaça e ajudar militarmente os países da região.

Para o líder líbio, uma presença militar americana direta é rejeitada pelos países africanos, que a consideram similar à ocupação colonial.

Rice, segundo a "Jana", considerou divergentes os pontos de vista de ambos os países, mas reafirmou o desejo dos Estados Unidos de manter relações positivas com a Líbia.

A secretária de Estado americana se referiu em seu encontro da sexta-feira com Kadafi à situação dos direitos humanos e, precisamente, à situação do opositor Fathi el-Jahmi, preso desde 2004 por suas críticas ao regime do coronel e por defender a instauração de um sistema democrático.

Em resposta a Rice, o chefe da diplomacia líbia, Abdel-Rahman Chalgham, disse que seu país rejeita pressões ou receber lições de respeito aos direitos humanos.

Acrescentou que considera superada a época de enfrentamentos entre os dois países e, embora persistam as divergências, o importante é o desejo de manter uma política de diálogo e compreensão. EFE sk/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG