Justiça suspende processo contra Lino Oviedo por assassinato de vice

Assunção, 19 dez (EFE).- A Suprema Corte do Paraguai ordenou hoje a suspensão definitiva do processo aberto contra o general da reserva Lino Oviedo, acusado pelo assassinato do vice-presidente Luis María Argaña, morto em 23 de março de 1999.

EFE |

Com a decisão, os juízes Sindulfo Blanco, Óscar Bajac e Alicia Pucheta confirmaram a rejeição a um recurso de apelação apresentado pelos advogados da família Argaña, informaram fontes do Poder Judiciário.

Lino Oviedo tinha sido apontado pelo autor material confesso do assassinato, Pablo Vera Esteche - condenado a 20 anos de prisão -, como a pessoa responsável por planejar e financiar a morte de Argaña.

O crime causou uma grave crise política, e, três dias depois, sete pessoas morreram em protestos populares, o que forçou a renúncia do então chefe de Estado, Raúl Cubas, na época amigo e aliado político de Oviedo, que chegou a viver quatro anos exilado no país. EFE rg/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG