Justiça suíça não chegou à decisão sobre fundos bloqueados de brasileiros

GENEBRA - O Tribunal Penal Federal da Suíça ainda não decidiu sobre o destino dos fundos bloqueados no processo contra cinco banqueiros suíços que ajudaram um grupo de funcionários brasileiros corruptos a lavar esse dinheiro.

EFE |

A porta-voz do Ministério Público suíço, Jeannette Balmer, confirmou que o valor congelado na Suíça chega a US$ 44 milhões.

Ela afirmou que o destino dos fundos "será objeto de uma decisão posterior" dos juízes federais.

Questionada sobre a eventual repatriação do dinheiro, Balmer não quis fazer comentários, ao destacar que "o Ministério Público esperará receber a motivação da sentença" e que, por enquanto, "não deseja dizer mais".

Os cinco banqueiros condenados a penas de entre 405 e 486 dias de prisão em suspenso trabalhavam na filial em Zurique da Discount Bank & Trust Company (DBTC), onde ajudaram funcionários brasileiros a manter, nesse estabelecimento, dinheiro de origem ilegal.

O tribunal determinou que, até 2001, os banqueiros deveriam perceber que os fundos tinham procedência criminosa e informar seus superiores, o que não fizeram.

Ao contrário, colaboraram para que os sistemas de vigilância e controle do banco não detectassem a procedência duvidosa dos depósitos.

Além da prisão em suspenso -que poderia ser efetivada se, nesse período, cometessem qualquer outro delito-, a sentença inclui o pagamento de multa, que vai de US$ 11 mil até US$ 53 mil.

A isso somam-se as despesas judiciais, que chegam a quase US$ 53 mil para cada um.

As identidades dos condenados foram mantidas em segredo, conforme as leis sobre a privacidade na Suíça. EFE is/db

    Leia tudo sobre: suíça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG