MOSCOU - O Supremo Tribunal da Rússia anulou nesta quinta-feira as absolvições de três suspeitos do assassinato da jornalista Anna Politkovskaya e ordenou a abertura de um novo processo, informa a agência Interfax.

A decisão do principal tribunal russo deu razão aos argumentos da promotoria, que pediu uma revisão do caso alegando vícios de procedimento no primeiro julgamento.

Entenda o caso

Um júri absolveu em fevereiro três homens apontados como cúmplices do assassinato a tiros da jornalista, no dia 7 de outubro de 2006 diante do prédio em que Anna morava em Moscou.

Grupos de defesa dos direitos humanos denunciaram a incapacidade da justiça russa para resolver o caso da morte de Politkovskaya, uma crítica ferrenha do atual primeiro-ministro e homem forte da Rússia, Vladimir Putin.

Os três suspeitos foram acusados de cumplicidade no crime. A absolvição também beneficiou outro homem, acusado de extorsão em um caso relacionado.

O assassinato de Politkovskaya, que nasceu em Nova York em 1958, foi perpetrado em Moscou quando a jornalista preparava um artigo sobre as torturas sistemáticas na Chechênia, que foi publicado por seus companheiros cinco dias após sua morte.

* Com EFE e AFP

Leia mais sobre Anna Politkovskaya

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.