LIMA (Reuters) - O ex-presidente peruano Alberto Fujimori foi condenado por crimes contra os direitos humanos nesta terça-feira, na primeira vez na história que um presidente latino-americano é considerado culpado em seu próprio país por abusos aos direitos humanos. Um painel formado por três juízes considerou Fujimori culpado de ter ordenado que um esquadrão militar matasse 25 pessoas em dois massacres realizados durante seu governo de 1990 a 2000, quando ele enfrentava a oposição de guerrilhas.

Promotores pediram uma pena de 30 anos de prisão para Fujimori. O ex-presidente negou as acusações, e sua defesa disse que recorrerá da decisão.

Quase 70 mil pessoas morreram em duas décadas de conflitos no país andino.

Fujimori chegou a desfrutar de uma grande popularidade por ter fortalecido a economia do país e derrotado a insurgência maoísta Sendero Luminoso, mas um escândalo de corrupção derrubou seu governo em 2000 e ele escapou para o exílio no Japão.

Atualmente com 70 anos, ele deve passar o resto de sua vida atrás das grades.

(Reportagem de Teresa Cespedes)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.