Justiça peruana anula condicional de ex-guerrilheira dos EUA

Peru ordena prisão de americana solta em maio, após cumprir um terço da pena de 20 anos por terrorismo

Reuters |

Reuters
Lori Berenson é vista durante sessão de revisão de sua condicional (16/08)
A Justiça do Peru ordenou a prisão da norte-americana Lori Berenson, depois de anular sua liberdade condicional, concedida em maio . Berenson foi condenada a 20 anos de prisão por terrorismo em 1995.

No fim de maio, a americana foi favorecida pela lei que concede liberdade condicional aos que cumprem um terço da pena, desde que demonstrem bom comportamento durante a permanência na penitenciária.

Berenson, que hoje tem 40 anos, foi considerada cúmplice do grupo armado Movimento Revolucionário Túpac Amaru, participando de planos para atacar e tomar o Congresso Nacional em 1995, durante o governo de Alberto Fujimori (1990-2000).

Berenson era a única americana presa por crime de terrorismo no Peru e seu caso ficou conhecido internacionalmente pela cruzada feita por seus pais na internet e na mídia dos EUA. Dois presidentes americanos - Bill Clinton e George W. Bush - pressionaram o governo peruano a favor do caso de Lori, sem conseguir uma libertação antecipada.

Em maio, quando a liberdade condicional foi dada a ela, seu advogado, Anibal Apari afirmou que ela pretendia trabalhar com tradutora e alugar um apartamento na capital do Peru, Lima. Ela não poderia deixar o país até 2015, quando termina sua pena.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: perulori berensoneua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG