Um juiz federal americano ordenou nesta terça-feira que 17 chineses muçulmanos da etnia uigur, detidos em Guantánamo sem acusações, sejam libertados em solo americano.

O governo americano eliminou em setembro as acusações de "combatentes inimigos", que justificavam até então sua prisão em Guantánamo.

Fugidos da China, os 17 estavam como refugiados em campos do Afeganistão quando a coalizão interveio militarmente no Afeganistão por causa dos atentados de 11 de setembro.

Os uigures são uma minoria étnica muçulmana perseguida na China.

lum/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.