Justiça ordena exumação de vítimas da Guerra Civil espanhola

A justiça espanhola ordenou nesta quinta-feira a exumação dos restos mortais de oito homens, fuzilados durante a Guerra Civil espanhola (1936-1939) pelo grupo de Francisco Franco, que viria a se tornar ditador do país. Os corpos estão enterrados no gigantesco mausoléu franquista do Valle de los Caídos.

AFP |

O juiz Santiago Pedraz, da Audiência Nacional, principal instância penal espanhola, ordenou que a primeira exumação seja feita no Valle de los Caídos, indicaram nesta quinta-feira fontes judiciais à AFP.

O Valle de los Caídos, a 60 km de Madri, foi construído entre 1940 e 1958 por prisioneiros do grupo republicano, perdedor da guerra. Além do general Franco, foram sepultados lá entre 30.000 e 50.000 vítimas dos dois lados da guerra.

No dia 16 de outubro, o juiz Baltasar Garzón autorizou a abertura de 19 valas comuns em toda a Espanha onde, acredita-se, estejam enterradas vítimas da guerra e dos primeiros anos da repressão do franquismo (1939-1975).

Uma delas é a vala onde provavelmente se encontra o Federico García Lorca, fuzilado no começo da guerra na província de Granada (Andaluzia, sul) pelo grupo nacionalista.

García Lorca foi executado em 1936 perto de Granada pelas forças anti-republicanas e sua família, que sempre se opôs à abertura da vala, anunciou no mês passado que aceitava a exumação.

"Não vamos impedir. Apesar de não gostarmos da idéia, respeitamos os desejos das outras partes envolvidas", declarou ao jornal El País Laura García Lorca, sobrinha do poeta e porta-voz da familia.

O juiz Garzón se declarou competente para investigar os desaparecimentos durante o franquismo abrindo formalmente uma instrução sobre as milhares de vítimas da Guerra Civil esquecidas nas valas comuns.

esb/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG