Justiça livra premiê de Bangladesh de processo por homicídio

Nova Délhi, 17 ago (EFE).- A Justiça de Bangladesh retirou hoje as acusações de assassinato apresentadas contra a primeira-ministra Sheikh Hasina, que em 2006 havia sido denunciada junto com 45 membros de sua aliança política como responsável pela morte de seis pessoas num confronto entre ativistas .

EFE |

Segundo a edição eletrônica do jornal "The Daily Star", o juiz Dilara Alo Chandana retirou as acusações a pedido do promotor Abdullah Abu, que em seu requerimento anexou uma carta do Ministério do Interior solicitando o arquivamento do caso.

Em outubro de 2006, seis pessoas morreram num confronto entre militantes da aliança liderada pela Liga Awami, da qual Hasina faz parte, e seguidores do partido islâmico Jamaat-e-Islami, aliado do Partido Nacionalista de Bangladesh, que faz oposição à primeira-ministra e é liderado por Khaleda Zia.

Os contínuos distúrbios registrados à época levaram o presidente do país, Iajuddin Ahmed, a decretar estado de emergência em janeiro de 2007.

Três meses depois, quando estava nos Estados Unidos, Hasina foi acusada, junto com outras 45 pessoas, de cumplicidade no assassinato de seis militantes do Jamaat-e-Islami.

Apesar dessas acusações e das denúncias de corrupção, Hasina e Zia concorreram às eleições de dezembro de 2008, realizadas após a suspensão do estado de emergência.

Depois da vitória arrasadora da Liga Awami e de ter assumido o Executivo bengalês, Hasina viu várias das acusações de corrupção apresentadas contra ela serem retiradas. EFE amp/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG