Justiça italiana condena 15 no caso de agressões durante reunião do G8 em 2001

Quinze membros das forças da ordem foram condenados nesta segunda-feira por agressões cometidas em julho de 2001 durante a Cúpula do G8 em Gênova, no norte da Itália, informou a agência Ansa.

AFP |

O tribunal de Gênova condenou os 15 funcionários a penas de cinco meses a cinco anos de prisão, e absolveu outros 30, segundo a agência.

O inspetor da polícia penitenciária Biagio Gugliotta recebeu a maior pena.

Os 45 membros das forças da ordem - carabineiros, funcionários da administração penitenciária e médicos - eram acusados de maus-tratos e humilhações contra alguns dos 250 manifestantes detidos e levados ao quartel de Bolzaneto, 15 km de Gênova.

Segundo a acusação, várias mulheres detidas foram obrigadas a ficar nuas diante de policiais homens na enfermaria do quartel.

Os confrontos entre manifestantes e policiais provocaram a morte de um manifestante, Carlo Giuliani, de 23 anos.

ljm/LR/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG