Justiça israelense não prevê indiciamento de Olmert em breve

O procurador de Israel, Menahem Mazuz, descartou neste domingo a possibilidade de um indiciamento em breve do primeiro-ministro Ehud Olmert no caso de corrupção pelo qual está sendo investigado.

AFP |

"Não estou seguro de que possamos apresentar uma acusação nas próximas semanas. Não me parece realista", declarou o procurador ao Channel 2.

Olmert anunciou que se fosse indiciado, renunciaria ao cargo.

O premier deve ser interrogado nos próximos dias.

Ehud Olmert é suspeito de ter recebido dinheiro "não autorizado" do empresário americano Morris Talansky durante um longo período, quando era prefeito de Jerusalém (de 1993 a 2003) e depois ministro da Indústria e Comércio (de 2003 a 2006).

Sobre Olmert pesam outras três investigações: uma por suspeita de transação imobiliária fraudulenta na compra de uma casa em Jerusalém e, as outras duas, por designações políticas abusivas quando era ministro da Indústria e Comércio.

ms/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG