Justiça haitiana ouvirá amanhã 2 missionárias americanas detidas

Porto Príncipe, 22 fev (EFE).- As duas missionárias americanas Laura Silsby e Anne Coulter Chalrisa, que permanecem detidas em Porto Príncipe sob a acusação de tentar tirar ilegalmente do país 33 menores, serão ouvidas amanhã pelo juiz Bernard Saint-Vil, anunciou à Agência Efe seu advogado, Aviol Fleurant.

EFE |

O advogado mostrou confiança em uma decisão judicial favorável a seus clientes, depois que os outros oito missionários presos sob a mesma acusação foram libertados na última quarta-feira e retornaram aos Estados Unidos.

"O juiz as libertará finalmente", declarou o advogado.

Os americanos, cinco homens e cinco mulheres, pertencentes à organização batista Refugio de Niños Nueva Vida, foram detidos no final de janeiro quando iam à República Dominicana em um ônibus com as crianças, de idades entre dois e 12 anos, para, supostamente, oferecer a eles uma vida melhor, depois do terremoto de 12 de janeiro.

Fleurant explicou que "não há nenhuma razão para mantê-los em prisão depois dos testemunhos dos pais" das crianças, que afirmaram ter entregado voluntariamente seus filhos para que eles pudessem ter melhores oportunidades.

Sobre a possibilidade de Silsby e Coulter Chalrisa serem postas em liberdade depois da audiência de amanhã, o advogado ressaltou que existe essa "eventualidade".

Segundo a imprensa local, o juiz queria comprovar que Laura Silsby foi à cidade fronteiriça de Ouanaminthe (nordeste) em dezembro passado para distribuir brinquedos e material escolar, tal como ela assegura.

O magistrado poderia ir a essa cidade para investigar os dados.

Ele também poderia viajar à República Dominicana para visitar um orfanato que supostamente pertence a Silsby. EFE gp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG