Um tribunal de Atenas rejeitou nesta terça-feira uma ação apresentada por habitantes da ilha grega de Lesbos requerendo que as mulheres gays parassem de monopolizar o termo lésbica.

O tribunal determinou que o termo "lésbica" não define a condição ou a personalidade de alguém e, portanto, os habitantes da ilha não têm motivo para reclamar de sua utilização.

Três moradoras da ilha do Mar Egeu entraram com uma ação em abril exigindo que a Comunidade Gay e Lésbica da Grécia (OLKE), a maior associação de homossexuais d país, parasse de usar o termo.

As querelantes pode apelar do veredicto.

Geralmente chamada na Grécia de Mitilene - o nome da capital de Lesbos -, a ilha foi o lar da poetisa Safo, cuja obra expressava seu amor por outras mulheres no início do século VI antes de Cristo.

Muitos moradores reclamam do fato de que o resort de Erros é um popular destino turístico de lésbicas.

jph/mat/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.