Justiça estuda vídeo com decolagem do avião acidentado em Madri

Madri, 25 ago (EFE).- O juiz espanhol Juan Javier Pérez, responsável pela investigação do acidente ocorrido na quarta-feira passada no aeroporto de Barajas, em Madri, já viu a gravação da decolagem do avião MD-82 da Spanair que caiu nas imediações do terminal, informaram hoje fontes jurídicas.

EFE |

O vídeo, de sete segundos, foi enviado ao juiz de Madri pela Polícia Judicial, e mostra - segundo os testemunhos de diversas autoridades que viram a gravação antes do magistrado - que o piloto usou ao máximo a pista e que o avião parece perder potência antes da decolagem.

Corresponde ao juiz Juan Javier Pérez determinar se a tragédia da quarta-feira passada em Madri tem alcance penal.

"Tudo está supeditado ao juiz e nada nem ninguém deve fazer avaliações sobre este assunto, por mais alta responsabilidade política" que tenha, disse hoje à Agência Efe o porta-voz do Conselho Geral do Poder Judiciário, Enrique López.

No entanto, o juiz está atualmente concentrado na tarefa das identificações das vítimas fatais.

O ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, disse hoje à imprensa que já foram identificados e colocados à disposição dos parentes 90 cadáveres, por isso elevou em quatro o número que tinha dado no começo da manhã.

O juiz está agora à espera de receber os relatórios técnicos solicitados ao Aeroportos Espanhóis e Navegação Aérea (Aena), à comissão de investigação do acidente, à Polícia Judicial e à Guarda Civil, cujos agentes são responsáveis também de tomar declaração das testemunhas do acidente.

O Conselho Geral do Poder Judiciário aprovou, na semana passada, a criação de um tribunal de reforço ao que investiga o caso, que contará com um magistrado, um secretário judicial e quatro funcionários.

Além disso, o Sindicato Espanhol de Pilotos de Linhas Aéreas (Sepla) divulgou hoje um comunicado aprovando a segurança da frota e as operações da companhia Spanair, e confirmando o alto nível de profissionalismo em sua manutenção.

A nota é uma resposta a algumas notícias da imprensa espanhola de que a companhia aérea não cumpria todos os padrões legais de operacionalidade e segurança. EFE nac/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG