Justiça espanhola processa 13 membros de partidos políticos por colaborarem com o ETA

O juiz espanhol Baltasar Garzón abriu hoje um processo por integração ou colaboração com o grupo terrorista ETA contra 13 membros dos partidos Askatasuna e Demokrazia 3 Milioi (D3M), que foram obrigados a suspender suas atividades.

EFE |

As candidaturas dos dois partidos foram canceladas pela Corte Suprema espanhola após terem sido apresentadas com a intenção de concorrer nas eleições regionais do País Basco (norte da Espanha) realizadas em 1º de março.

A Justiça espanhola considerou evidente o apoio exercido pelo Batasuna - braço político da ETA - aos partidos.

O Batasuna foi considerado ilegal em abril de 2003, em virtude de uma lei vigente na Espanha desde 2002 que proíbe a atuação de partidos políticos que apóiem o terrorismo.

Entre os 13 processados estão o presidente do Askatasuna, José Antonio Munduate, e a porta-voz da D3M, Amparo Las Heras, que está presa desde janeiro de 2008.

A D3M foi criada recentemente para as últimas eleições regionais bascas, enquanto o Askatasuna foi formado entre 1998 e 2001.

Leia mais sobre terrorismo

    Leia tudo sobre: espanhaetaterrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG