Justiça espanhola manda prender homem ligado a ataques de 11 de Março

Madri, 13 ago (EFE).- A Justiça espanhola ordenou hoje o envio à prisão do suposto terrorista islâmico Said Rehou, vinculado com os atentados de 11 de março de 2004 em Madri, após ser levado da França até a Espanha.

EFE |

Contra Rehou, que chegou na quarta-feira à capital espanhola, pesava uma ordem de busca e captura pelo suposto envolvimento em uma operação na qual foram detidas até o momento 43 pessoas em várias fases.

Fontes jurídicas disseram que o juiz Baltasar Garzón, que instrui o caso, ordenou na quarta-feira o envio de Rehou a uma prisão por um crime de terrorismo, pelo qual era reivindicado pela Audiência Nacional espanhola.

Embora inicialmente estivesse previsto que o juiz interrogasse hoje Rehou, nascido em Casablanca (Marrocos), o depoimento foi adiado, pois o promotor da causa está de férias.

Fontes policiais afirmaram que o suposto terrorista poderia pertencer a uma célula criada na Espanha por volta de 2002, sob o comando de Abdelazi Mourrafik, que tinha como missão recrutar mujahedins para realizar a Jihad em Marrocos, Espanha e em outros países.

Em outubro de 2004, Garzón ordenou o início da operação que deteve 43 pessoas em várias fases - 15 delas já cumpriram pena - e mandou buscar e capturar outras seis, entre elas Rehou e Mourrafik.

Segundo a Polícia, Rehou emprestava sua casa em Madri para realizar reuniões nas quais eram exibidos vídeos com sermões e cenas da Jihad, e às quais acudiam alguns dos que depois foram implicados "direta ou indiretamente" com os atentados de 2003 em Casablanca e mo de Madri de 11 de Março de 2004. EFE rbf/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG