A Justiça espanhola abriu uma investigação para esclarecer o homicídio, na quinta-feira à tarde, do traficante de drogas colombiano Leónidas Vargas, morto a tiros em um hospital de Madri, informou a polícia.

"Abrimos uma investigação para esclarecer os detalhes do assassinato de Vargas, conhecido como 'El Viejo', que levou quatro tiros, em seu quarto no Hospital Doce de Octubre, de Madri", disse um porta-voz policial.

A polícia espanhola acredita que o assassinato tenha sido um ajuste de contas. Já o ministro da embaixada colombiana em Madri, Luis Alfonso González, disse à imprensa que "é difícil estabelecer o motivo, mas isso está sendo investigado".

Vargas foi morto por volta das 20h (17h de Brasília), no quarto que dividia com outro doente. O assassino perguntou a esse último se era Leónidas Vargas e, depois de ouvir que era a pessoa do lado, o homem disparou quatro tiros e fugiu correndo do hospital.

A polícia isolou vários andares do hospital, mas não conseguiu encontrar o assassino, que, de acordo com a imprensa espanhola, pode ter fugido para o metrô, na companhia de outra pessoa.

Vargas estava em liberdade sob fiança por motivos médicos, à espera do julgamento por sua ligação com uma apreensão de 500 kg de cocaína, motivo pelo qual foi preso, em 8 de julho de 2006, ao deixar o hotel em que estava hospedado em Madri. Segundo a imprensa colombiana, Vargas foi considerado o rei da coca no sul da Colômbia nos anos 1990.

Vargas foi detido em 1993 em seu país e condenado a 19 anos de prisão por enriquecimento ilícito e narcotráfico, assim como a 26 anos por homicídio. Cumpriu apenas oito e, em 1997, sobreviveu a uma tentativa de assassinato.

gr/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.