Justiça espanhola anula processo contra soldados acusados de matar cinegrafista

A justiça espanhola anulou nesta terça-feira as acusações contra três militares americanos pelo assassinato do cinegrafista espanhol José Couso, que morreu por um disparo de morteiro no hotel Palestina de Bagdá em 2003, indicaram fontes judiciais.

AFP |

A Audiência Nacional, principal instância judicial espanhola, anulou as acusações de 2007 contra os três militares, por estimar que "não há indícios suficientes" e ordenou o arquivamento do caso.

Os três militares acusados eram o sargento Thomas Gibson, o capitão Philip Wolford e o tenente-coronel Philip de Champ, responsáveis pelo tanque Abrams M1 que disparou o morteiro contra o hotel onde se encontrava o cinegrafista espanhol da emissora Telecinco, em 8 de abril de 2003.

O morteiro matou também o cinegrafista ucraniano Taras Protsyuk, da agência Reuters.

afp/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG