Justiça dos EUA manda fechar funerária que cortou pernas de homem

WASHINGTON - Uma juíza da Carolina do Sul ordenou, nesta terça-feira, o fechamento de uma funerária que em 2004 amputou as pernas de um homem para que coubesse no caixão, informa o diário local The State.

EFE |

No julgamento, o proprietário da funerária, Michael Cave, admitiu que um de seus empregados cortou na altura da panturrilha as pernas de James Hines, que media 2 metros, sem comunicar a família.

Segundo Cave, o funcionário da funerária pretendia "economizar mais sofrimento aos parentes".

O caso se tornou público há um ano, quando um ex-funcionário da funerária contou a verdade à viúva de Hines.

No mês passado, o comitê de funerárias do Estado resolveu retirar o direito de funcionamento da empresa de Cave, situada na localidade de Allendale.

Na audiência desta terça, Cave pediu à juíza que não apoiasse essa decisão, ao alegar que nunca soube que um de seus funcionários tinha usado o serrote, e assegurou que a funerária desempenhou seu trabalho sem problemas nos quatro anos após o incidente.


Leia mais sobre funerária

    Leia tudo sobre: amputaçãoeuafunerária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG