Justiça do Chade condena ex-presidente Hissène Habré à morte

Dacar, 16 ago (EFE).- A Corte Penal de Ndjamena, capital do Chade, condenou à morte o ex-presidente do país Hissène Habré, após considerá-lo culpado de sedição, informaram hoje rádios regionais captadas em Dacar.

EFE |

Em audiência nesta sexta-feira, o tribunal também condenou à morte 11 líderes de grupos rebeldes do leste do Chade, ao considerá-los culpados de "atentarem contra a ordem constitucional e a integridade e segurança do território chadiano".

Outros 31 membros da rebelião pegaram prisão perpétua por terem cometido atentados com o objetivo de derrubar o Governo do atual presidente do Chade, Idriss Déby.

Entre os condenados à pena capital está o general Mahamat Nouri, principal líder da rebelde Aliança Nacional e aliado de Habré.

Habré, julgado à revelia e que foi deposto em 1990, após ter comandado um regime acusado de cometer 40 mil assassinatos políticos, é acusado de 200 mil casos de tortura e está exilado no Senegal, onde será julgado por violações dos direitos humanos. EFE st/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG