Justiça de Portugal arquiva o caso da pequena Maddie

A justiça portuguesa decidiu nesta segunda-feira, por falta de provas, arquivar o caso Madeleine McCann, 14 meses depois do desaparecimento de menina britânica, e retirar o indiciamento contra seus pais e um terceiro suspeito, anunciou a promotoria.

AFP |

"A promotoria determinou o arquivamento do processo de investigação da pequena Madeleine McCann por falta de provas que demonstrem que as pessoas envolvidas cometeram qualquer tipo de crime", indica, em um comunicado, o procurador-geral da República.

Em conseqüência, foi retirado o indiciamento dos pais da menina, Gerry y Kate McCann, e do britânico Robert Murat, segundo o comunicado.

Na semana passada, Robert Murat, o primeiro suspeito na investigação sobre o desaparecimento da pequena Madeleine, recebeu 600.000 libras esterlinas (750.000 euros) de indenização de vários meios de comunicação aos quais processou por difamação.

Murat chegou a um acordo amigável com os jornais processados numa decisão ratificada nesta quinta-feira pela Alta Corte de Londres.

O britânico de 34 anos, que vive com sua mãe no balneário português de Praia da Luz, a 100 metros do apartamento de onde Maddie desapareceu em 3 de maio de 2007, foi durante muito tempo o único suspeito da investigação e alvo da cobertura da mídia.

lgo/cyb/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG