Justiça de Mianmar volta a condenar Nobel da Paz

A líder opositora e Prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi foi condenada a três anos de prisão e trabalhos forçados por um tribunal de Mianmar nesta terça-feira, mas provavelmente temendo a reação da comunidade internacional a junta militar que governa o país reduziu a pena a 18 meses de prisão domiciliar.

AFP |

Suu Kyi, 64 anos, foi considerada culpada de ter transgredido as regras de sua prisão domiciliar pelo estranho incidente registrado em maio, quando recebeu em casa um americano, John Yettaw, que chegou a nado a sua residência, que fica à margem de um lago.

O general Maung Oo, ministro do Interior, aunciou ao fim do processo que o chefe da junta militar, Than Swee, ordenou a comutação da sentença por 18 meses adicionais de prisão domiciliar.

Suu Kyi passou 14 dos últimos 20 anos presa. Sem uma medida especial de clemência, a nova condenação a impedirá de participar nas eleições nacionais convocadas pela junta militar para 2010.

Já Yettaw foi condenado a sete anos de prisão e trabalhos forçados. O americano de 54 anos foi sentenciado a três anos por ter infringido as leis de segurança, outros três anos por violações das leis de imigração e a um ano por ter nadado ilegalmente em um lago municipal de Yangun.

hla/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG