A justiça européia anulou nesta quinta-feira a decisão da União Européia (UE) de congelar os fundos dos Mujahedines do Povo, principal força de oposição iraniana, pelo grupo figurar na lista de organizações terroristas da UE.

O tribunal de primeira instância da Corte Européia de Justiça (CEJ) considerou que a UE "violou os direitos de defesa" dos Mujahedines ao "não comunicar as novas informações que, no seu entender, justificavam a manutenção na lista européia de organizações terroristas".

Os juízes da corte, com sede em Luxemburgo, citaram ainda a recusa da UE de "comunicar ao tribunal certas informações relativas ao caso".

Os Mujahedines do Povo, que sempre negaram qualquer envolvimento com atividades terroristas, saem deste modo vitoriosos depois de anos de batalha na justiça européia.

cat-mar/fp

UE-Irán-terrorismo-justicia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.