Justiça chinesa condena oito monges tibetanos

Oito monges tibetanos foram condenados a penas de prisão, perpétua no caso de um deles, por um atentado cometido durante os distúrbios de março nesta região chinesa, anunciaram fontes judiciais.

AFP |

"Foram considerados culpados por uma explosão em um edifício do governo do distrito de Xiangpi", disse Zhang Weilai, juiz do tribunal de Chamdo, leste do Tibete.

O magistrado afirmou que um dos monges foi condenado à prisão perpétua e que nenhum dos sentenciados apresentou recurso de apelação.

Segundo a organização Free Tibet, com sede em Londres, dois monges foram condenados à prisão perpétua e os demais a penas que vão de cinco a 15 anos de prisão.

O grupo, que cita uma fonte anônima, acrescenta que os condenados têm idades entre 19 e 31 anos e que nenhum deles teve a assistência de advogados ou pôde ver os familiares.

Segundo a imprensa oficial chinesa, os monges, do mosteiro de Thangkya (Tongxia em chinês), confessaram ter atacado com bombas de fabricação caseira um edifício público em 23 de março.

Xiangpi (Gyanbe em tibetano) fica a 1.000 quilômetros de Lhasa, capital do Tibete, onde em 14 de março explodiram violentos distúrbios contra a presença chinesa nesta região do Himalaia.

mbx/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG