Justiça chilena dita novas sentenças contra repressores da ditadura

Condenados são da cúpula da Dina, Polícia secreta da ditadura de Augusto Pinochet

EFE |

O juiz chileno Alejandro Solís ditou novas sentenças contra a cúpula da Dina, a Polícia secreta da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), pelo sequestro qualificado (desaparecimento) de oito opositores em 1975.

O general reformado Manuel Contreras Sepúlveda, que foi chefe da Dina e acumula penas de mais de 200 anos de prisão por diversas violações aos direitos humanos, recebeu uma nova condenação de 15 anos e um dia.

O ex-brigadeiro Miguel Krasnoff, e os ex-coronéis do Exército Marcelo Moren Brito, Rolf Wenderoth Pozo e Daniel Cancino Varas foram condenados a dez anos e um dia de prisão.

O oficial da Gendarmaria Orlando Manzo Durán, o ex-oficial do Exército Rubén Fiedler Alvarado e Pedro Herrera Henríquez, por sua vez, pegaram cinco anos e um dia de prisão.

O suboficial da Polícia Militar Pedro Alfaro Fernández e o ex-tenente-coronel do Exército Fernando Lauriani Maturana foram condenados a três anos de prisão.

Todos foram processados e condenados por sua participação no sequestro e desaparecimento de oito opositores à ditadura em 1975 na cidade de Valparaíso.

Os opositores foram levados para Villa Grimaldi, centro de torturas da Dina. Depois disso, nunca mais foram encontrados.

    Leia tudo sobre: Chileditadura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG