Condenados são da cúpula da Dina, Polícia secreta da ditadura de Augusto Pinochet

O juiz chileno Alejandro Solís ditou novas sentenças contra a cúpula da Dina, a Polícia secreta da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), pelo sequestro qualificado (desaparecimento) de oito opositores em 1975.

O general reformado Manuel Contreras Sepúlveda, que foi chefe da Dina e acumula penas de mais de 200 anos de prisão por diversas violações aos direitos humanos, recebeu uma nova condenação de 15 anos e um dia.

O ex-brigadeiro Miguel Krasnoff, e os ex-coronéis do Exército Marcelo Moren Brito, Rolf Wenderoth Pozo e Daniel Cancino Varas foram condenados a dez anos e um dia de prisão.

O oficial da Gendarmaria Orlando Manzo Durán, o ex-oficial do Exército Rubén Fiedler Alvarado e Pedro Herrera Henríquez, por sua vez, pegaram cinco anos e um dia de prisão.

O suboficial da Polícia Militar Pedro Alfaro Fernández e o ex-tenente-coronel do Exército Fernando Lauriani Maturana foram condenados a três anos de prisão.

Todos foram processados e condenados por sua participação no sequestro e desaparecimento de oito opositores à ditadura em 1975 na cidade de Valparaíso.

Os opositores foram levados para Villa Grimaldi, centro de torturas da Dina. Depois disso, nunca mais foram encontrados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.