Justiça chilena dá ordem de prisão em massa para ex-militares por violações dos DH

A justiça chilena emitiu nesta terça-feira ordem de prisão contra pelo menos 129 ex-militares chilenos e policiais por sua responsabilidade na repressão durante a ditadura de Augusto Pinochet, incluindo a Operação Condor - um dos casos mais emblemáticos de violação dos direitos humanos, confirmou o magistrado encarregado do caso.

AFP |

O juiz Víctor Montiglio ditou ordem de prisão contra ex-agentes da Direção Nacional de Inteligência (DINA), a temida polícia política que operou durante a ditadura Pinochet (1973-1990), acusada de ser a responsável pela morte da maior parte das 3.000 vítimas que o regime deixou.

Pela Operação Condor foi assasinado em Buenos Aires, em 1974, o ex-comandante-em-chefe do Exército chileno, Carlos Prats e sua esposa; e, em 1976, o ex-chanceler do Chile, Orlando Letelier, em Washington.

Além da 'Operação Condor', coordenada pelas ditaduras do Cone Sul na década de 70 para o extermínio de opositores de esquerda, a decisão judicial abrange a 'Operação Colombo', que consistiu no desaparecimento de 119 opositores, em 1975.

A decisão se refere também ao chamado 'Caso Calle Conferencia', de maio de 1976, que levou à detenção de 10 membros do Partido Comunista chileno, que permanecem na condição de desaparecidos até hoje.

A ordem inclui oficiais da reserva que nunca tinham enfrentado a justiça, ex-suboficiais, membros da Força Aérea e da Marinha, assim como ex-integrantes da Polícia Civil e da Polícia militar.

Todos serão processados como co-autores de sequestro qualificado e serão notificados de sua ordem de prisão e julgamento de maneira gradual até sexta-feira, explicou a fonte.

Montiglio assumiu a investigação em 2006 - em substituição ao juiz Juan Guzmán, que as iniciou em 1998, enfrentando depoimentos contraditórios e a negação dos crimenes por parte das pessoas ouvidas, fato este que atrasou a decisão.

"Há resoluções importantes na causa, mas o magistrado nos pediu expressa reserva para poder completar as diligências e esgotar as investigações sobre causas importantes envolvendo os direitos humanos", destacou o advogado que representa o Ministério do Interior, Boris Paredes.

Pela 'Operação Colombo', o mesmo juiz ordenou em dezembro de 2005 a prisão domiciliar do hoje falecido ditador Augusto Pinochet.

A ordem judicial inclui, entre outros, cinco oficiais da reserva que nunca enfrentaram a justiça antes, como César Manríquez, Manuel Karevic, Sergio Castillo, Fernando Cheneau e Luis Sovino, além de 45 suboficiales do Exército, 14 militares já condenados por questões ligadas aos direitos humanos, além de 14 ex-oficiais da Força Aérea, 11 ex-marinheiros, 32 policiais, seis agentes da Policía Civil e dois gendarmes.

Estes últimos teriam atuado como guardas de prisão e efetuado os traslados de prisioneiros políticos a diversos centros de detenção clandestinos do Chile.

pa/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG