Londres, 28 jun (EFE).- Um homem que a Justiça britânica apresenta como um dos mais importantes membros da Al Qaeda na Europa pode ser colocado em liberdade vigiada na próxima semana no Reino Unido, dada a impossibilidade de ele ser deportado, segundo o tablóide The Times.

O preso, um argelino de 45 anos, veterano dos campos de treinamento da Al Qaeda no Afeganistão e que só é conhecido pela letra U, pode ser solto sob fiança e, assim, deixar a ala de segurança máxima da prisão de Long Lartin.

Segundo a publicação, em abril, o tribunal de apelações concluiu que o preso deveria ser libertado. Logo depois, os advogados de U e as agências britânicas de segurança começaram a negociar as condições da libertação e as restrições que serão impostas ao argelino para sua permanência no Reino Unido.

As autoridades querem ser mais rígidas do que foram com o clérigo radical Abu Qatada, libertado na semana passada, também sob fiança, mas que está proibido de ficar mais de duas horas por dia fora de casa.

As agências de segurança não querem que, quando deixe a prisão, U fique em Londres, já que, na cidade, ele tem muitos contatos com grupos fundamentalistas islâmicos.

Além disso, as autoridades querem que ele use um bracelete ou uma tornozeleira eletrônica e que não tenha acesso a internet ou telefones celulares.

Para a Justiça britânica, o argelino é um líder terrorista que recrutou e treinou militantes da Al Qaeda.

U, que na prisão ficou conhecido como um devorador de livros, chegou em 1994 ao Reino Unido, país ao qual pediu asilo político sob o argumento de que tinha sido torturado em seu país.

Segundo a Comissão Especial de Apelações sobre Imigração, entre 1996 e 1999, o argelino esteve em um campo de treinamento no Afeganistão, onde formou uma célula de terroristas encarregada de levar a jihad (guerra santa) ao Ocidente. EFE jr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.