Um caminhoneiro transexual venceu na Justiça britânica um processo de discriminação sexual contra seus empregadores, alegando ter sido boicotado por trabalhar vestido de mulher. Segundo a imprensa local, o ex-soldado Mike Gaynor, 38, duas vezes casado e pai de uma filha adolescente, era um funcionário querido e respeitado entre os colegas em Liverpool, até aparecer no trabalho como Vikki-Marie, usando maquiagem e jóias.

Em audiências ao longo deste ano, Gaynor disse à Justiça que teve a carga de trabalho reduzida pela empresa transportadora DHL depois de contar aos seus empregadores que pretendia realizar uma operação para virar mulher.

Segundo ele, as intimidações também foram constantes. Seus pertences e sua maquiagem teriam sido removidos e jogados no lixo em um depósito da DHL em Kirkby.

Gaynor afirmou ainda que um colega fez gestos ofensivos para ele quando ambos estavam parados em um sinal de trânsito.

O processo foi contra a DHL e contra a agência de empregos Blue Arrow, acusada de não "ajudar nem apoiar" o seu cliente no caso, ignorando suas reclamações contra a DHL.

Segundo a Justiça de Liverpool, ainda pode demorar "meses" até que as partes cheguem a um acordo em torno da compensação a ser paga ao caminhoneiro.

De acordo com o jornal Liverpool Daily Post, a DHL disse que estava "analisando" o julgamento, e que a Blue Arrow considera o caso "encerrado".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.