Justiça britânica condena médico por ataques frustrados

Um médico iraquiano foi condenado nesta terça-feira na Grã-Bretanha pela tentativa de realizar atentados com carros-bomba em Londres e no aeroporto de Glasgow, na Escócia, no ano passado. Os incidentes ocorreram em junho de 2007.

BBC Brasil |

No primeiro, no dia 29, dois carros-bomba, que não chegaram a explodir, foram encontrados na região central de Londres. No outro, no dia seguinte, um jipe em chamas carregado de cilindros de gás foi jogado contra o aeroporto escocês.

Abdulla, que foi preso perto do jipe no dia do incidente, foi responsabilizado pelas tentativas de atentado juntamente com o indiano Kafeel Ahmed - que morreu depois do incidente em Glasgow devido às queimaduras sofridas no incidente.

Um outro médico, o jordaniano Mohammed Asha, foi inocentado da acusação de ter ajudado Abdulla e Ahmed.

Terrorismo

Durante o julgamento, Abdulla admitiu ser um "terrorista", segundo os critérios definidos pela lei inglesa, e argumentou que o governo e o Exército britânicos podem ser igualmente acusados de terrorismo por suas ações no Iraque.

Ele acrescentou que não tinha a intenção de matar ninguém - só queria assustar as pessoas. Tanto Abdulla como Asha trabalhavam no sistema público de saúde britânico.

O promotor Jonathan Laidlaw disse ao júri que Abdulla e Ahmed pretendiam "cometer assassinatos em grande escala e de forma indiscriminada" em ataques que ocorreriam de surpresa, provocando pânico na população.

Bilal ainda não recebeu sua sentença e poderá ser condenado à prisão perpétua.

Leia mais sobre Inglaterra

    Leia tudo sobre: inglaterra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG