BUENOS AIRES (Reuters) - A justiça argentina anulou na quarta-feira o indulto que beneficiava Alfredo Martínex de Hoz, ministro da Economia à época da ditadura (1976 a 1983). Ele pode ser condenado na própria cadeia por crimes contra a humanidade. Martínez de Hoz, que comandou a economia do país entre 1976 e 1981, é acusado de sequestrar dois empresários têxteis por cinco meses, em 1976, e pode continuar preso.

Uma fonte judicial disse à Reuters que a Câmara Federal ratificou na quarta-feira a inconstitucionalidade do indulto, argumentando que não se pode beneficiar pessoas acusadas de crimes contra a humanidade.

Martínez de Hoz, acusado do sequestro de Federico e Miguel Gutheim, tinha sido beneficiado com o indulto decretado pelo ex-presidente Carlos Menem (1989-1999), o que impediu o avanço do caso. Federco Gutheim morreu em 1995 e Miguel está vivo.

Pelo mesmo caso, estão sendo processados o ex-presidente Jorge Rafael Videla e o ex-ministro do Interior albano Harguindeguy, que cumprem prisão domiciliar.

Durante o período da ditadura na Argentina, desapareceram até 10 mil pessoas, segundo denúncias de órgãos de defesa dos direitos humanos.

(Reportagem de Lucas Bergman)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.