Justiça alemã proíbe marcha neonazista no dia do Holocausto

Berlim, 26 jan (EFE).- O Partido Nacional Democrata Alemão (NPD) não poderá realizar uma marcha neonazista que havia convocado para amanhã, dia do aniversário internacional do Holocausto judeu, sob o lema Freemos o Holocausto em Gaza, por decisão de um Tribunal de Berlim.

EFE |

O tribunal decidiu hoje desprezar a reivindicação que havia interposto o NPD contra a chefia superior da Polícia que proibiu a concentração neonazista, explicou um porta-voz judicial.

Por sua parte, o vice-presidente do Bundestag (Câmara baixa), Wolfgang Thierse (SPD), destacou a importância de 27 de janeiro como a data em que se relembra o extermínio de milhões de judeus, e defendeu que esses crimes não caiam no esquecimento.

Além disso, conclamou a todos os alemães a participar de uma manifestação contra a xenofobia e o antissemitismo em 14 de fevereiro, em Dresden, por ocasião do 64º aniversário dos bombardeios que esta cidade sofreu durante a Segunda Guerra Mundial.

"O que ocorreu ali não diz respeito apenas aos cidadãos de Dresden; afeta todos nós", apontou.

O presidente da Associação Germano-israelense, Johannes Gerster, lamentou o "crescente antissemitismo" derivado da reativação do conflito no Oriente Médio.

"Aquelas que se denominam manifestações pacíficas demonstraram durante as últimas semanas que o antissemitismo na Alemanha está cada vez mais disseminado, tanto na direita quanto na esquerda e nos grupos muçulmanos" afirmou.

Desde 2006, o dia 27 de janeiro é o aniversário internacional dos crimes do nacional-socialismo.

A data se refere a 27 de janeiro de 1945, quando foram libertados os sobreviventes do campo de concentração nazista de Auschwitz. EFE pb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG