Justiça absolve 3 acusados em relação a atentados em Londres

Londres, 28 abr (EFE).- Três homens processados pelos atentados de 7 de julho de 2005, em Londres, foram absolvidos hoje da acusação de ajudar os terroristas a planejar os ataques, segundo o tribunal de Kingston, no sul da capital.

EFE |

No entanto, dois dos três acusados - Waheed Ali e Mohammed Shakil - foram declarados culpados de conspirar para ir a campo de treinamento terrorista no Paquistão.

Ali, Shakil e Sadeer Saleem foram processados pela segunda vez no tribunal de Kingston, depois que, em outro julgamento realizado no ano passado, o júri não conseguiu chegar a um veredicto.

Os três eram acusados de visitar a roda-gigante de Londres, o Museu de História Natural e o aquário da capital britânica enquanto observavam possíveis alvos de ataques, cerca de sete meses antes dos atentados que deixaram 56 mortos - incluindo os quatro terroristas suicidas - e mais de 700 feridos.

No entanto, o júri deste segundo julgamento, que durou três meses, estabeleceu hoje que Ali, Shakil e Saleem, da localidade de Beeston (norte inglês), não são culpados de conspirar com os terroristas suicidas para causar explosões entre 17 de novembro de 2004 e 8 de julho de 2005.

Ali, de 25 anos; Saleem, de 28, e Shakil, de 32, foram os únicos a serem levados a julgamento em relação aos atentados em Londres.

Os terroristas suicidas Mohammed Siddique Khan, Shezhad Tanweer, Hasib Hussain e Jermaine Lindsay detonaram as bombas que estavam em suas mochilas no metrô de Londres e em um ônibus urbano.

De acordo com este segundo julgamento, os três viajaram de Leeds (norte da Inglatarra) a Londres em 16 de dezembro de 2004 com Hussain, que foi o responsável por detonar a bomba no ônibus na praça de Tavistock, onde 13 pessoas morreram.

Os três se reuniram com Jermaine Lindsay, que causou a morte de 26 pessoas na linha Piccadilly do metrô.

Segundo a Promotoria, os três absolvidos hoje - detidos em 2007 - fizeram um trabalho de "reconhecimento" sobre possíveis alvos em visita de dois dias à capital britânica.

Ali, Saleem e Shakil admitiram que fizeram a viagem, mas disseram que foi apenas um passeio e que tinha como objetivo que o primeiro pudesse visitar a irmã. Eles acrescentaram que aproveitaram a viagem para visitar locais emblemáticos de Londres.

Segundo a Promotoria, Ali viajou a um campo de treinamento terrorista no Paquistão em 2001, enquanto Shakil fez o mesmo em 2003. EFE vg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG