Jurado declara culpado fã que perseguia Uma Thurman

Nova York, 6 mai (EFE) - Um júri de um tribunal de Nova York declarou hoje culpado por assédio Jack Jordan, um homem que estava apaixonado e obcecado por Uma Thurman e que chegou a ameaçar se matar caso a atriz americana não tivesse um caso com ele.

EFE |

O juiz Gregory Carro, encarregado do caso em um tribunal estadual de Manhattan, ordenou que Jordan fosse submetido a um exame psiquiátrico antes de seu próximo comparecimento à corte, previsto para 2 de junho.

Jordan, um limpador de piscinas de 37 anos desempregado, poderia ser condenado a até um ano de prisão.

Durante o julgamento compareceram Thurman, protagonista de "Kill Bill" e "Pulp Fiction - Tempos de Violência", seus pais e seu irmão, que detalharam a obsessão de Jordan pela atriz e as ligações e mensagens que todos eles receberam do fã.

A atriz assegurou no julgamento que chegou a temer pela vida de seus filhos Levon e Maya, de seis e nove anos de idade, respectivamente, pois Jordan chegou a ameaçá-los.

Em mensagem disse que queria passar tempo em uma caverna com o corpo mumificado de Thurman e em outra lhe enviou o desenho de uma pessoa caminhando pelo fio de uma lâmina de barbear para uma tumba aberta e uma foto de uma mulher com a cabeça cortada.

Entre as provas apresentadas durante o julgamento, destaca-se um diário de Jordan no qual falava de Uma Thurman, várias fotografias da atriz que tinha em seu carro, e várias cartas enviadas. EFE bj/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG