Junta militar prende 16 comandantes militares e 3 civis na Guiné

Dacar, 7 jan (EFE).- A junta militar que controla o poder na Guiné prendeu 16 militares, entre eles o general Diarra Camara, ex-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, informaram hoje emissoras de rádio regionais captadas na capital senegalesa Dacar.

EFE |

Além de Camara, o ex-chefe do Estado-Maior da Armada, vice-almirante Nfali Daffe, e seu adjunto, o contra-almirante Fassiriman Traoré, estão entre os detidos, que estão detidos no quartel Alpha Yaya Diallo, sede da junta.

Três civis, cuja identidade não se revelou, foram detidos também pelos militares, que vasculharam há poucos dias o domicílio do ex-primeiro-ministro Cellou Dalein Diallo, líder de um partido de oposição contrário ao regime do falecido presidente Lansana Contei.

O Comitê Nacional para a Democracia e o Desenvolvimento (CNDD), nome que adotou a junta militar chefiada pelo capitão Moussa Dadis Camara, tomou o poder em 23 de dezembro, horas após a morte de Contei, que comandou o país por 24 anos.

Uma semana depois, em 30 de dezembro, a junta nomeou um civil, Kabine Komara, diretor até então do escritório do African Export-Import Bank (Banco Africano de Exportação e Importação) no Cairo, como primeiro-ministro do país.

Após o golpe de estado, a junta militar anunciou a dissolução do Governo, dos tribunais e do Parlamento, assim como a suspensão da Constituição e anunciou eleições para dezembro de 2010, o que não foi aceito pela comunidade internacional, que reivindica um pleito o mais breve possível. EFE st/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG