Junta Militar eleva número oficial de mortos para 43.000, após ciclone

Bangcoc, 16 mai (EFE).- A Junta Militar de Mianmar elevou para 43.

EFE |

000 o número de mortos pelo ciclone "Nargis", quase cinco mil a mais que no dia anterior, conforme dados da última apuração.

O jornal oficial "New Light of Mianmar", que o regime utiliza para divulgar suas mensagens, informou de um total de 43.318 mortos frente aos 38.591 que havia admitido no anterior, e manteve os desaparecidos em 27.838.

No entanto, há dois dias, a Federação Internacional da Cruz Vermelha calcula entre 68.833 e 127.990 vítimas mortais, enquanto a ONU fala de mais de 100 mil falecidos e de entre 1,6 e 2,5 milhões de desabrigados.

As agências humanitárias, frustradas pelo veto da Junta Militar aos voluntários estrangeiros, sustentam que apenas 270.000 pessoas tiveram acesso até agora à ajuda doada pela comunidade internacional.

O Governo birmanês insiste em distribuir a seu critério e por meio de seus próprios funcionários o material de emergência, o que gera receios entre as ONG.

Mediante seu poderoso aparelho de propaganda, o regime oculta à população a autêntica magnitude do desastre e não deixa de divulgar imagens do chefe da Junta Militar, Than Shwe, e outros generais, dando ajuda aos desabrigados.

No entanto, não mostra nem menciona os milhares de cadáveres que ainda flutuam na água putrefata do delta do rio Irrawaddy, a região mais afetada. EFE fmg/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG