Tamanho do texto

Bangcoc, 10 mai (EFE).- A Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) aproveitou hoje a distribuição de ajuda internacional para os desabrigados do ciclone Nargis para fazer propaganda ao colocar imagens dos generais mais importantes nas caixas do material de emergência.

Fontes da dissidência informaram que um dos rostos era o do tenente-general Myint Swe, possível sucessor do líder máximo do regime, o general Than Shwe.

Sob esse adesivo, em outro menor, era possível ler: "Ajuda do Reino da Tailândia".

A imprensa, televisão e rádio estatais continuam bombardeando a população com imagens de Than Shwe e de outros altos oficiais da Junta Militar entregando ajuda aos desabrigados, e não mostra as "montanhas" de corpos que flutuam no rio Irrawaddy.

O enorme aparelho de propaganda do regime também promove atualmente o apoio ao texto constitucional no plebiscito realizado nas regiões do país que não foram atingidas pelo "Nargis".

O Governo birmanês admite por enquanto 23.335 mortes e 37.019 desaparecimentos na passagem do "Nargis", mas o Escritório de Coordenação de Ajuda Humanitária da ONU diz que entre 63.000 e 102.000 pessoas perderam a vida, outras 220.000 estão desaparecidas e quase 2 milhões ficaram desabrigadas. EFE fmg/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.