Madri, 20 jan (EFE).- O cantor espanhol Julio Iglesias assegurou hoje que nunca viu uma tragédia tão grande como a do Haiti, que para ele é um país irmão da República Dominicana, onde vive.

"A vida me deu a oportunidade de percorrer o mundo inteiro pelo meu trabalho e, embora tenha visto muitas situações difíceis e muito sofrimento, nunca vivi tão de perto uma tragédia da envergadura da do Haiti. O pouco que as pessoas desse país tão sofrido tinham, já não existe mais", lamentou o cantor em comunicado.

Nos últimos dias artistas como Ricky Martin, Wyclef Jean, Madonna, Sting e Justin Timberlake se mobilizaram para ajudar as vítimas do terremoto no Haiti com doações ou com a organização de eventos beneficentes.

"O Haiti precisa do apoio e do carinho de cada um de nós e de toda a comunidade internacional nesse momento de enorme dor", diz Iglesias na nota.

O grande terremoto de 7 graus aconteceu às 19h53 (Brasília) do dia 12 e teve epicentro a 15 quilômetros da capital, Porto Príncipe.

Em declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, disse que o número de mortos superará 100 mil.

O Exército brasileiro informou que 18 militares do país que participavam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

Entre os civis - além da médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e de Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti -, foi informado hoje que outra mulher também morreu no tremor, aumentando para 21 o número total de vítimas brasileiras. EFE hlm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.