Julgamento dos 17 colaboradores de Pinochet é adiado

Paris, 6 mai (EFE).- O julgamento de 17 colaboradores de Augusto Pinochet, que estava previsto para ocorrer entre 19 e 23 deste mês.

EFE |

em Paris, foi adiado, conforme anunciou a Procuradoria.

Dentre os réus em questão - que serão julgados pelo desaparecimento de quatro franceses durante a ditadura militar chilena (1973-90) - estão o antigo chefe da Polícia secreta do período da ditadura e o fundador da Colônia Dignidade.

O adiamento ocorreu em função de "dificuldades" inerentes ao envio das convocações ao exterior.

A Procuradoria da corte já informou às partes civis, indicou uma porta-voz à Agência Efe, destacando que se trata apenas de um adiamento.

Os acusados são chilenos, com exceção de um argentino, e quase todos militares. Eles foram acusados por detenção e seqüestro arbitrários acompanhados de torturas ou atos de barbárie, ou por serem cúmplices desses delitos.

O agravante de torturas ou atos de barbárie pode levar a uma pena máxima de cadeia perpétua.

Embora a juíza tenha ordenado o processo dos 17 acusados, dois deles morreram desde então. EFE al/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG