Julgamento de opositora birmanesa é adiado para segunda-feira

Bangcoc, 24 jul (EFE).- O polêmico julgamento contra a líder opositora birmanesa e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, foi adiado novamente hoje, após a apresentação dos argumentos finais da defesa, e na próxima segunda-feira a promotoria deve apresentar suas alegações.

EFE |

A retomada do julgamento na prisão de segurança máxima de Insein, em Yangun, não terminou hoje, como estava previsto, e o juiz ouvirá em outra audiência, na próxima segunda-feira, os argumentos do promotor, segundo fontes diplomáticas europeias.

A equipe de defesa da ativista obteve, por fim, permissão para visitar ontem sua cliente, um dia depois de receber uma negativa, e se reuniu com ela durante mais de duas horas para definir a alegação de inocência, informou o advogado Nyan Win.

Suu Kyi compareceu hoje na sala.

A Nobel da Paz, que passou 14 dos últimos 20 anos privada da liberdade, é acusada de violar as condições da prisão domiciliar que cumpria desde 2003, por permitir que um cidadão americano pernoitasse durante duas noites em sua casa.

Se for considerada culpada, pode ser condenada a uma pena máxima de cinco anos de prisão, o que a impediria de participar das eleições que o regime birmanês pretende realizar em 2010, consideradas uma farsa pela dissidência. EFE tai/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG