Julgamento de Karadzic deve ser retomado no dia 13 de abril

Bruxelas, 1 abr (EFE).- O julgamento contra o ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic perante o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) por genocídio e crimes contra a humanidade deve ser retomado no dia 13 de abril, depois que a corte rejeitou um novo adiamento.

EFE |

"O Tribunal não cometeu nenhum erro ao estimar que um novo atraso do processo seria injustificado", considerou hoje a sala de apelações.

A negativa de adiar o processo vai contra a estratégia de Karadzic que consiste em boicotar o processo judicial desde o começo pedindo adiamentos constantes.

A ausência do antigo líder servo-bósnio durante os três primeiros dias do julgamento, em outubro, alegando que não tinha tido tempo suficiente para preparar sua defesa obrigou o Tribunal a adiar o processo até março.

No dia 2 de março, um dia depois da volta do processo, o julgamento voltou a ser adiado à espera da resolução da sala de apelações publicada hoje, sobre o recurso interposto por Karadzic a um pedido de adiamento que tinha sido negado em primeira instância.

O tribunal anunciou hoje que, a partir do dia 13 de abril e "até nova ordem", se reunirá três dias por semana para escutar as testemunhas e analisar as provas apresentadas por ambas as partes.

Até agora, Karadzic baseou sua defesa em questionar o massacre de Srebrenica de julho de 1995, que a comunidade internacional transformou, segundo ele, em um "mito".

Karadzic é acusado por 11 crimes de genocídio e crimes de guerra cometidos durante o conflito civil da Bósnia-Herzegovina, entre 1992 e 1995.

As duas acusações de genocídio estão relacionadas precisamente com o massacre de Srebrenica, onde oito mil muçulmanos morreram, e o assédio de Sarajevo, que durou durante todo o conflito e causou mais de dez mil mortos. EFE mgs/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG