Julgamento de herdeiro acusado de maltratar socialite americana é adiado

Nova York, 23 fev (EFE).- O julgamento do filho único da multimilionária Brooke Astor, Anthony Marshall, acusado de maltratar a socialite, foi adiado a pedido da Promotoria, que solicitou mais tempo para preparar sua argumentação.

EFE |

O juiz A. Kirke Bartley determinou que o julgamento começará em 2 de março e que entre os acusados também estará o advogado do filho de Astor, Francis Morrissey, que tinha pedido para ser julgado separadamente.

Hoje estava previsto para ocorrer a escolha do júri, o que teria iniciado o julgamento em Nova York dos dois, acusados de roubar a aristocrata antes de essa morrer, aos 105 anos, de Alzheimer.

Os jurados precisarão decidir se Anthony Marshall é culpado dos crimes de furto, posse de bens roubados, falsificação e conspiração.

Semanas antes da morte de Astor e para surpresa da sociedade nova-iorquina, o neto da idosa, Philip Marshall, denunciou o próprio pai, "Tony" Marshall, a quem acusou de maus-tratos à milionária e de administrar fraudulentamente sua fortuna.

Pouco depois, a Promotoria de Distrito de Nova York apresentou acusações contra Anthony Marshall e contra seu advogado.

O órgão considerou que foram roubados milhões de dólares da idosa, se aproveitando de seu estado mental nos últimos anos de vida, para enriquecer em detrimento dos beneficiados reais da fortuna.

Marshall, de 84 anos, enfrenta pena de até 25 anos de prisão.

O promotor Robert Morgenthau afirma que os acusados convenceram Astor a assinar um adendo a seu testamento em 2002 e, um ano depois, forjaram sua assinatura para que um novo documento tivesse validade e alterasse a forma como a idosa queria repartir suas posses. EFE mgl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG