Julgamento de Hariri buscará justiça e não vingança, diz promotor

Beirute, 27 fev (Efe).- O promotor do Tribunal Especial para o Líbano, Daniel Bellemare, assegurou hoje que esta corte, que julgará os supostos responsáveis pelo assassinato do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri em 2005, procura justiça, e não vingança.

EFE |

"Meu compromisso com os libaneses é servir à Justiça, com base somente em fatos e provas", afirmou Bellemare em carta aberta aos libaneses divulgada hoje, antes de deixar Beirute com destino a Haia, onde está a sede da corte, cujos trabalhos começarão no dia 1º de março.

O promotor canadense e chefe do comitê que investiga o assassinato de Hariri advertiu ainda que o tribunal "não pode nem deve ser utilizado como ferramenta política... e não se deve especular ou prejulgar suas conclusões".

"Cada pessoa, sejam testemunha, detida ou acusada, será tratada com dignidade... O tribunal não procura vingança, apenas justiça", acrescentou.

A corte tem como missão julgar os acusados do assassinato de Hariri, no dia 14 de fevereiro de 2005, em um atentado com carro-bomba em Beirute, que matou ainda outras 22 pessoas, entre elas o deputado e ex-ministro Bassel Fleihan.

Quatro generais libaneses estão presos por sua suposta participação no atentado, enquanto outros três detidos desde 2005 foram colocados em liberdade há dois dias. EFE ks-ssa/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG