ORLANDO - A ex-astronauta da Nasa (agência espacial americana), Lisa Nowak, começará a ser julgada em 7 de dezembro pela agressão a uma capitã da Força Aérea que era sua rival num triângulo amoroso.

Reuters
Capa da revista "People" em 2007
As audiências do caso serão num tribunal de Orlando, no centro da Flórida. Antes, em 10 de novembro, os advogados de defesa e os promotores terão a chance de apresentar qualquer tipo de moção relacionada ao caso, segundo um documento judicial divulgado, nesta quinta-feira.

Nowak, de 44 anos, esteve na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) em 2007. Durante a missão, operou um braço robótico durante atividades na plataforma.

Acusada de tentativa de sequestro, agressão física com uma arma e tentativa de roubo de veículo, a ex-astronauta teria espirrado spray de pimenta na capitã Colleen Shipman.

O ataque aconteceu no estacionamento do Aeroporto Internacional de Orlando, depois que Nowak dirigiu 1.800 horas sem parar nem ir ao banheiro para chegar a tempo de encontrar sua rival desembarcando de um voo procedente de Houston (Texas).

À época, Nowak foi detida pela polícia de Orlando e submetida a um "intenso" interrogatório, que não será usado contra ela no julgamento pelo fato de os investigadores terem violado seus direitos constitucionais.

Segundo os autos do processo, Nowak descobriu o caso entre Shipman e seu ex-amante, o coronel William Oefelien, comandante do ônibus espacial "Discovery". Depois, num ataque de ciúmes, tentou seqüestrar a rival.

Por causa do escândalo, Oefelien e Nowak perderam o emprego na Nasa.

Numa gravação do interrogatório feito pela polícia, Nowak disse que só queria "assustar" e falar com a concorrente.

Na época da agressão, a ex-astronauta estava deprimida e fora de si, segundo o advogado de defesa Donald Lykkebeck.



Leia mais sobre NASA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.