Julgamento de deputado croata por crimes de guerra começa pela 3ª vez

Zagreb, 4 nov (EFE).- O julgamento contra o deputado Branimir Glavas, acusado de crimes de guerra cometidos em 1991 contra civis sérvios na cidade oriental croata de Osijek, começou hoje pela terceira vez no Tribunal de Zagreb.

EFE |

Glavas e outros cinco ex-colaboradores militares estão sendo julgados por acusações de crimes de guerra contra civis sérvios em 1991, incluídos a tortura e morte de pelo menos 13 deles.

O julgamento deveria ter recomeçado no dia 13 de outubro, mas foi adiado devido à ausência de um dos réus.

A causa já precisara ser retomada uma segunda vez devido ao intervalo de mais de dois meses entre as duas audiências transcorreram o que, segundo a legislação croata, estabelece o reinício de todo o processo.

Glavas foi reeleito no ano passado como deputado de um partido local de Osijek, o HDSSB.

Até 2004, ele foi representante local da conservadora União Democrática Croata (HDZ) do finado presidente nacionalista Franjo Tudjman e do agora primeiro-ministro Ivo Sanader.

Vários analistas na imprensa local classificaram de "vergonhoso" que Glavas siga em liberdade, que um suspeito de crimes tão graves seja deputado no Parlamento, assim como o prolongamento do julgamento.

"Todo o processo transformou-se em uma burla do Estado de Direito", assinala hoje o jornal "Jutarnji list", de Zagreb.

Durante a guerra sérvio-croata, em 1991, Glavas foi comandante da defesa de Osijek e até sua detenção em 2006 o "homem forte" de toda a região da Eslavônia oriental croata. EFE vb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG