Julgamento de acusados de conspirar para atacar EUA é anulado

(atualiza com anúncios da juíza e advogados defensores) Miami, 16 abr (EFE).- O novo julgamento realizado em Miami (Flórida) contra seis pessoas acusadas de conspirar para atacar a Sears Tower, em Chicago, foi declarado nulo hoje, após o júri reconhecer sua incapacidade para chegar a um veredicto, informou uma fonte oficial.

EFE |

O novo júri reconheceu hoje sua incapacidade para decidir se os indivíduos conhecidos como os "Sete de Liberty City" tinham conspirado para atentar contra a Sears Tower, em Chicago, e o prédio do FBI (a polícia federal americana), em Miami.

A juíza encarregada do caso, Joan Lenard, marcou uma audiência para a próxima semana, na qual se analisará a possibilidade de um terceiro julgamento, embora a Promotoria ainda não tenha divulgado sua posição sobre a decisão judicial de hoje.

Os advogados de defesa, por outro lado, informaram que solicitarão a liberdade de seus clientes com o pagamento de uma fiança.

No dia 13 de dezembro de 2007 o julgamento contra este grupo foi também declarado nulo pelas mesmas razões que as expostas agora pelo júri.

Concretamente, foi declarado nulo para seis dos acusados, enquanto o sétimo foi absolvido de todas as acusações.

Os Estados Unidos acusam este grupo de sete pessoas de conspirar para atacar Sears Tower e o edifício do FBI.

Para a Promotoria, se trata de um grupo terrorista que tramava um atentado, que jurou lealdade à rede terrorista Al Qaeda e que tentava cometer um ataque similar ao perpetrado em 11 de setembro de 2001.

Caso fossem declarados culpados de todas as acusações, o suposto líder do grupo, Narseal Batiste, e os outros acusados enfrentariam uma condenação de até 70 anos de prisão.

O advogado de um dos membros do grupo alegou, em dezembro do ano passado, que o FBI montou uma armadilha para que praticassem um "crime inventado", que os suspeitos planejaram só para obter o dinheiro oferecido por informante para realizá-lo.

O informante do FBI supostamente ofereceu aos acusados, com os quais nunca se encontrou explosivos para praticar os atentados, a quantia de US$ 50 mil. EFE emi/mac/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG